O que fazer quando um cônjuge quer se mudar e o outro não?

A situação é bastante comum: você sabe que as possibilidades de sua atual moradia já se esgotaram. Seja por uma necessidade de avanço pessoal ou pela chegada de um novo filho, às vezes a casa fica pequena e é preciso pensar em mudança. O cônjuge, porém, não pensa da mesma forma. Para ele está tudo bem, e se mudar agora seria jogar dinheiro fora.

Mas como proceder quando você sabe que essa é uma decisão importante e extremamente necessária? Seja racional: não é brigando que você irá conseguir provar seu ponto.

Abaixo, confira algumas dicas para passar por essa transição sem conflitos e da forma mais leve e madura possível.

Use argumentos

 

De nada adianta bater o pé e dizer que quer. Quando um dos cônjuges não quer se mudar, entrar no ciclo da teimosia só irá piorar as coisas. Antes de tudo, leve sua decisão a sério e faça um planejamento sozinho. Pode ser no papel ou mentalmente. Mas enumere, em uma série de itens, por que você acha importante que haja uma mudança de residência.

Por exemplo: se o problema for que você tem dois filhos dividindo um quarto, e o mais velho está reclamando, comece pensando por que é importante que cada um tenha o seu espaço. É pelo desenvolvimento da criança? Por sua individualidade, que vem aparecendo com a idade e é um fator decisivo na construção de personalidade? Elabore essa questão.

Ao final, quando estiver com todos os argumentos racionais e maduros listados, chame seu cônjuge para uma conversa.

Seja inclusivo

 

Quando falamos em casais, ninguém toma decisões dessa magnitude sozinho. Ao chamar seu cônjuge para uma conversa, esteja pronto para ouvir antes de falar. Quais são as razões que levam a pessoa a não querer se mudar?

Se os motivos forem quanto à infraestrutura de sua atual moradia ou do bairro em que você está, ofereça a possibilidade de, juntos, buscarem por imóveis que ofereçam vantagens semelhantes.

Vai visitar um apartamento? Convide a pessoa para ir junto. Pergunte o que gostou e o que não gostou, o que preferia que fosse diferente. Envolva-o nessa busca. Às vezes, tudo que falta para tomarmos coragem de dar um passo maior é vermos em nossa frente o que nem sabíamos que desejávamos.

Se nada der certo, use metas

 

Você apresentou argumentos, mostrou que seu desejo não é apenas um “sonho de consumo”, mas uma necessidade de avançar e trazer maior qualidade de vida para sua família. Também tentou conversar – mais de uma vez – e envolveu o cônjuge em todo o processo de busca do imóvel ideal. Mas nada disso adiantou.

Agora é hora de ceder. Em uma nova conversa, tente fazer com que fiquem extremamente claros os motivos que estão impedindo uma mudança de imóvel agora. Para cada um desses empecilhos, haverá uma solução. E cada solução deve ter uma meta para ser alcançada.

Se o problema for dinheiro – e costuma ser –, que valor é necessário atingir? Faça cálculos palpáveis, objetivos, e estabeleça um prazo para alcançar o valor ideal. Mostre que a sua decisão não é impulsiva e, se tiver que esperar mais um pouco, tudo bem. Afinal, você também está disposto a fazer tudo da melhor forma possível.

Quer ajuda? Entre em contato com um de nossos corretores que iremos te auxiliar.